LC, LCI e LCA

E aí, tudo bom? Meu nome é Eudes, sou professor na área de tecnologia mas também sou um estudante entusiasta de finanças e investimentos. Se você se interessa por esse conteúdo pode ser que eu tenha algo bem legal pra te passar. Então, bora lá!

Mais um ativo de renda fixa é o LCI, Letra de Crédito Imobiliário. São títulos emitidos por instituições financeiras que remuneram o investidor por um prazo que é mostrado no momento do investimento, sendo fonte de investimentos para o setor imobiliário, pois são lastreados em créditos imobiliários. Na economia o conceito de lastro é usado para determinar o valor real da moeda, o que garante o valor do papel moeda, nesse caso, o valor real do ativo é determinado por imóveis. Isso significa que o dinheiro do investidor que investe em LCI está sendo utilizado, no fim, para a compra ou para o financiamento de um imóvel. Na prática, o investidor emprestará seu dinheiro ao setor imobiliário para recebê-lo incrementado com juros no futuro. Um detalhe interessante dos LCIs é que eles não cobram imposto de renda, assim todo lucro obtido é líquido! Os LCIs têm a proteção do FGC.

Como nos CDBs o LCI tem o nome, a rentabilidade, a data de vencimento, e o valor mínimo de aplicação e a liquidez (que no exemplo mostrado é a quantidade de dias requeridos até o resgate). Vale ressaltar que se a liquidez for diária as rentabilidades tendem a ser menores. A Figura 7 ilustra alguns exemplos de LCIs.

Figura 7: Exemplos de LCI de uma corretora de valores

Outro ativo de renda fixa são os LCAs, Letras de Crédito do Agronegócio. Possui características de investimento semelhantes ao LCI. Esses ativos, em vários casos, oferecem uma rentabilidade mais atrativa em relação a outros ativos de renda fixa. Isso ocorre por que o LCA tem isenção de imposto de renda sobre os rendimentos, coisa que não acontece na maioria dos ativos de renda fixa. O capital investido não oscila, isso já é sabido. E, os LCAs têm a proteção do FGC. Assim como em outros ativos de renda fixa a rentabilidade nos LCAs pode ser de três formas: pré-fixada e pós-fixada.

Quando há inadimplência o investidor não é afetado diretamente se a instituição financeira (credora) tiver como arcar com esses custos, ela é a responsável. Já vimos que o retorno é proporcional ao risco que se corre. Isso justifica o fato dos bancos pequenos oferecerem taxas de rentabilidade maiores, pois é muito mais fácil que ele sofra com tais situações do que os bancos grandes.

Agora vamos ver mais um, LC, Letra de Câmbio. É um título de renda fixa, como o CDB. É oferecida por sociedades de crédito, investimento e financiamento, conhecidas como Financeiras, onde o emitente é o devedor, o beneficiário é a pessoa física ou jurídica que investe o seu dinheiro, e o aceitante é a financeira, como a Fininvest, BMG e a Crefisa. As LCs são muito procuradas por conta da rentabilidade que oferecem, além de serem protegidas pelo FGC. Esse investimento possui as características de uma ativo de renda fixa e possui rentabilidade diária. Porém, sofre tributação de IR de acordo com aquela tabela regressiva mostrada no post que fala das características dos ativos de renda fixa. O investimento mínimo é maior que os concorrentes (Tesouro direto, por exemplo, que veremos mais detalhadamente num post adiante), e, não serve como margem de garantia para investir na Bolsa de Valores (explicarei o que é essa margem de garantia mais à frente) . Outra desvantagem das LCs é que elas não possuem liquidez diária.

Por enquanto é só, aos poucos você aprende. Até o próximo post!

Deixe um comentário